afeto
lisboa, portugal

veja a galeria

Sempre há algo que fica como lembrança do outro. Este algo pode causar ciúmes ou não. Pode ser algo profundo ou sem nenhum significado. O ensaio Afeto tornou-se uma tentativa de desapego em relação à presença dessas lembranças (que aqui se mostram através de objetos), pensando nelas como um simples momento de afeto compartilhado com outras pessoas. Foram convidadas a participar deste ensaio pessoas próximas e também as desconhecidas, relacionamentos mais íntimos e também os amigos. Para essas pessoas foi cedida a cama como forma de compartilhar a intimidade por uma noite. Para a fotógrafa, os participantes deixaram um objeto e uma nova história. O ensaio tornou-se resultado de um processo de reciprocidade e desapego em relação à intimidade e às histórias compartilhadas através dos objetos. Cada pessoa e respectivo objeto transformaram-se em um díptico. Cada díptico tornou-se a materialização de um afeto.

--

There's always something that stays as a memory of others. This something can cause jealousy or not. It can be something meaningful or meaningless. The photo-essay Affection became an attempt of detachment from the presence of these memories (here shown through objects), by thinking of them as simples moments of affection shared with other people. For this shooting, acquaintances and unknown people were invited, as well as intimate relationships and friends. They were lent a bed as a way to share intimacy for one night. For the photographer, the participants left an object and a new story. The essay is the result of a process of reciprocity and detachment towards the intimacy and shared stories through the objects. Each person and their object transformed into a diptych. Each diptych became the materialization of affection.